terça-feira, 7 de março de 2017

Crises de taquicardia ou batedeira podem ser sinal de doenças da mente


Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que atualmente cerca de 33% da população mundial sofre de ansiedade. O Brasil tem aparecido sempre entre os primeiros das listas da organização. A depressão, assim como a ansiedade, são os males que mais afetam as pessoas. Poucos sabem, mas a ansiedade pode desencadear uma série de outros problemas, entre eles a Síndrome do Pânico.

O médico cardiologista e especialista em desenvolvimento humano, Dr. Milton Moura, explica que recebe diariamente em seu consultório pessoas que acreditam ter problemas no coração, mas na verdade sofrem de pânico. Isso porque o pânico causa a taquicardia – a famosa batedeira –, então o paciente acredita estar sofrendo um infarto, por exemplo. Depois de feitos os exames e constatado que não existe problemas no coração, os pacientes são encaminhados ao psiquiatra para tratar o pânico.

Milton explica que o contrário também acontece. Pacientes chegam ao consultório com diagnóstico de síndrome do pânico por causa da taquicardia, mas na verdade o que eles têm é um nervo a mais no coração, e um procedimento simples resolve o problema. E então, quando o paciente é curado da taquicardia, consequência o pânico desaparece.

Mas porque a taquicardia gera sensação de pânico? Isso acontece por causa do que os médicos chamam de Incoerência Cardíaca. É como se fosse um diálogo entre coração e cérebro: quando vivemos estado de frustração ou ansiedade, esse estado de incoerência aparece. O ideal é a busca pela coerência cardíaca.

A coerência cardíaca pode ser treinada por meio de exercícios de respiração, o que gera harmonia das funções cerebrais.
Contudo, a orientação é: qualquer sintoma, de pânico ou taquicardia, o ideal é procurar um especialista!

Consumo de magnésio ajuda a combater a depressão

Consumo de magnésio ajuda a combater a depressão

Recente pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou que o Brasil tem a maior taxa de pessoas com depressão na América Latina e uma média que supera os índices mundiais. Os dados publicados apontam que 5,8% da população nacional seja afetada pela doença.
O acompanhamento médico é fundamental, mas estudos apontam também que determinadas vitaminas e minerais podem ajudar no combate à depressão.
Dentre eles, o magnésio se destaca. O mineral é um regulador do sistema nervoso que previne a insônia, a ansiedade, a hiperatividade, o estresse e a depressão e pode ser encontrado em alimentos como leite, queijo, vegetais de folha verde, figo, carne vermelha, etc.
No entanto, com a correria do dia a dia e a alimentação deficitária recomenda-se consumir suplementos de magnésio. Sempre com supervisão médica.

Jornal de Saúde informa

Febre amarela: Caso suspeito de febre amarela em humano é investigado em Carmo do Paranaíba e Idosos não conseguem vacina

saúde em Belo Horizonte/MG Atualização diária ⋅ 18 de janeiro de 2018 NOTÍCIAS Técnica de saúde bucal é de...

Jornal de Saúde