terça-feira, 29 de agosto de 2017

DIA NACIONAL DE COMBATE AO FUMO


 
Brasil reduz em 42% número de fumantes passivos no ambiente familiar
Durante apresentação dos avanços de combate ao fumo, Ministério da Saúde e INCA reiteram posicionamento a favor da proibição de aditivos em cigarros que aguarda julgamento do STF
 
Os brasileiros estão cada vez fumando menos em casa e expondo os familiares aos riscos do tabagismo passivo. Foi o que apontou a última edição da pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). Em oito anos, o índice registrou queda de 42,5% no número de fumantes passivos no domicílio, caindo de 12,7%, no ano de 2009, para 7,3% no ano passado. O dado foi divulgado nesta terça-feira (29/08), pelo Ministério da Saúde, em comemoração ao Dia Nacional de Combate ao Fumo.  
 
 
Entre as capitais, todas apresentaram queda, com destaque para Cuiabá (MT) e Rio Branco (AC). Aracaju (5,1%) teve a menor incidência de fumantes passivos em domicílio, no ano passado. Já Porto Alegre (RS) apresentou o maior percentual (10,4%), no mesmo período. A frequência de fumantes passivos no domicílio foi mais alta entre os mais jovens (18 a 24 anos), em ambos os sexos. A pesquisa foi feita por telefone nas 26 capitais e no Distrito Federal e contou com 53.210 entrevistas. 
 
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, comemorou a redução e destacou que as ações da pasta não vão parar. “Continuaremos investindo nessa área e ampliando a divulgação das campanhas. Vamos também orientar as crianças por meio do Saúde na Escola, criando resistência a esse início do vício de fumar que acontece, principalmente, na adolescência”, ressaltou.  
 
A queda no número de fumantes passivos em domicílio vem junto com a redução de fumantes no país. Nos últimos 10 anos, houve redução de 35% no número de usuários de produtos derivados do tabaco. A prevalência caiu de 15,7% em 2006, para 10,2% em 2016. Quando separado por gênero, a frequência de fumantes hoje é maior no sexo masculino (12,7%) do que no feminino (8%). Se analisado por faixa etária, a pesquisa mostra que a frequência de fumantes é menor entre os adultos jovens antes dos 25 anos (7,4%), ou após os 65 anos (7,7%) e maior na faixa etária dos 55 a 64 anos (13,5%).
 
O tabagismo passivo é causa de doenças e morte. Em 2015, o Ministério da Saúde registrou 17.972 óbitos, sendo uma das principais causas de mortes atribuíveis ao tabaco. Ser fumante passivo significa inalar fumaça de cigarros (ou outros produtos derivados do tabaco) por pessoas que não fumam. Essa fumaça se difunde no ambiente e faz com que as pessoas ao redor inalem a mesma quantidade de poluentes que os fumantes. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2013, o tabagismo passivo foi a 3ª maior causa de morte evitável no mundo, perdendo apenas para o tabagismo ativo e para o consumo excessivo de álcool.
 
Estudos comprovam que os efeitos imediatos da poluição ambiental pela fumaça do tabaco não são apenas de curto prazo, como irritação nasal e nos olhos, dor de cabeça, irritação na garganta, vertigem, náusea, tosse e problemas respiratórios. Essa exposição também está relacionada ao aumento do risco de câncer de pulmão, de infarto, e de várias outras doenças graves e fatais relacionadas ao tabagismo.
 
A diretora do Instituto Nacional do Câncer (INCA), Ana Cristina Pinho, destacou a importância do Dia Nacional de Combate ao Fumo. “A data é para reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população brasileira para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco. Essa foi a primeira legislação em âmbito federal relacionada à regulamentação do tabagismo no Brasil, inaugurando a normatização voltada para o controle do tabagismo como um problema de saúde coletiva e que completa hoje 30 anos”, afirmou.
 
Como parte da política de combate ao tabagismo, o SUS oferece tratamento gratuito para fumantes nas Unidades Básicas de Saúde. São ofertados adesivos, pastilhas e gomas de mascar. Apenas com esses tratamentos, o Ministério da Saúde gastou R$ 23,7 milhões.
 
ADITIVOS – Durante a comemoração ao Dia Nacional de Combate ao Fumo, o Ministério da Saúde e o Instituto Nacional do Câncer (INCA) reiteram o posicionamento a favor da proibição de aditivos em cigarros, usados com o a finalidade principal de facilitar a iniciação de jovens ao tabagismo.
 
A divulgação do posicionamento antecede o julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da ação direta de inconstitucionalidade (ADI) nº 4874 contra uma resolução da Anvisa de 2012 (RDC 14) que restringe o uso de aditivos. A indústria do tabaco conseguiu liminar em 2013 para dar continuidade à oferta. Essas substâncias dão sabores mentolados e adocicados aos cigarros e diminuem a aversão, na primeira experimentação, à fumaça e ao gosto ruim do tabaco.
 
Para a diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde, do Ministério da Saúde, Fátima Marinho, é de suma importância o STF proibir essa ação. “Para reduzir a experimentação em adolescentes, transformar o produto em uma coisa menos atrativa, menos saborosa, é fundamental acabar com os aditivos. Porque o adolescente que ao aderir o consumo vai se tornar, provavelmente, um adulto fumante”, destacou.
 
Embora os fabricantes tentem passar a ideia de que licores e outros aditivos para dar sabor aos cigarros são inócuos, estudos mostram que eles podem se transformar em substâncias tóxicas e cancerígenas durante a queima. É o caso do açúcar, que, ao sofrer combustão, transforma-se em acetaldeído, uma substância cancerígena e neurotóxica.
 
A posição dos órgãos é que a RDC 14 da Anvisa é fundamental para reduzir a experimentação entre adolescentes e continuar a queda do contingente de fumantes no país, bem como o impacto das doenças relacionadas ao tabaco sobre os cofres públicos.
 
EXPOSIÇÃO/LIVRO - Como parte da cerimônia do Dia Nacional de Combate do Fumo, será inaugurada a exposição “INCA: 80 anos de História na Saúde Pública no Brasil” no túnel que liga o prédio principal do Ministério Saúde ao edifício anexo, em Brasília. Criada em parceria com a Fiocruz, a mostra lembra as primeiras iniciativas do combate ao câncer no Brasil e registra a contribuição de alguns personagens fundamentais na trajetória do Instituto. Os painéis contam a história da criação do INCA e a evolução até tornar-se referência no controle ao câncer.
 
Também será lançada a publicação “Dia Mundial sem Tabaco e Dia Nacional de Combate ao Fumo: Catálogo de campanhas 1997-2017”. A publicação é um resumo histórico das campanhas promovidas pelo INCA nos últimos 20 anos. O projeto inclui ainda o Artigo 4º da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco, com o qual se relaciona o tema das campanhas e ações de comunicação e informação.

Criança Segura lança jogo para ensinar a prevenção de acidentes para o público infantil



O game estará disponível para todos a partir de 30 de agosto, Dia Nacional da Prevenção de Acidentes

Todos os anos, milhares de crianças brasileiras de zero a 14 anos morrem e outras centenas de milhares são internadas devido a algum tipo de acidente, como atropelamento, afogamento, sufocação, queimadura etc.

Evitar que as crianças se machuquem gravemente é uma preocupação constante de pais, familiares, responsáveis e profissionais que trabalham diretamente com os pequenos. Por isso, é tão importante que os adultos se informem sobre como prevenir acidentes e adotem comportamentos e medidas que garantam a segurança de meninos e meninas.

Além disso, também faz parte do papel do adulto ensinar às crianças, desde cedo, como avaliar possíveis perigos no ambiente e evitar riscos a si mesmas. Mas, como educar os pequenos para que eles se protejam e se mantenham em segurança? Esse sempre foi um desafio enfrentado por todos aqueles que convivem com crianças quando queriam realizar ações que promovessem a segurança infantil.

Pensando nisso, a Criança Segura anuncia hoje o lançamento de uma novidade que deverá ajudar – e muito! – a todos que desejam trabalhar a temática de prevenção de acidentes com as crianças. É o Game Criança Segura, um jogo destinado ao público infantil, que tem como objetivo disseminar a cultura de prevenção de forma lúdica e prazerosa para as crianças.

Para jogar, basta acessar o site: http://criancasegura.org.br/game/.  O jogo estará disponível a partir de 30 de agosto, data em que se comemora o Dia Nacional da Prevenção de Acidentes.

O game, por meio de vários jogos curtos, apresenta situações nas quais os pequenos aprendem a identificar os perigos em ambientes domésticos ou no trânsito e dá dicas de como evitar acidentes que podem acontecer com as crianças, tudo isso de forma muito divertida e leve, afinal, criança aprende brincando.

“A nossa mensagem é sempre direcionada para o adulto, pois entendemos que ele é o responsável pela vida da criança. Mas, é importante também ensinarmos a criança noções de comportamento seguro para que ela seja capaz de compreender algumas situações de perigo desde pequena. Daí vem a importância de um game como esse. Nele, nós nos preocupamos em trabalhar todas as principais causas de acidentes com crianças, como queda, intoxicação, sufocação, afogamento etc. Dessa forma, esperamos contribuir com o desenvolvimento da autonomia de meninos e meninas, com uma linguagem direcionada para esse público e muita ludicidade.”, explica Carla Lerner, responsável da Criança Segura pela área de Mobilização da organização e pelo desenvolvimento do jogo.

Além disso, em breve, um aplicativo desse jogo também poderá ser baixado gratuitamente pelos usuários de iOS, Android e Windows Phone.

A Criança Segura

A Criança Segura é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, dedicada à prevenção de acidentes com crianças e adolescentes de até 14 anos. A organização atua no Brasil desde 2001 e faz parte da rede internacional Safe Kids Worldwide, fundada em 1987, nos Estados Unidos, pelo cirurgião pediatra Martin Eichelberger.

Para cumprir sua missão, desenvolve ações de Políticas Públicas – incentivo ao debate e participação nas discussões sobre leis ligadas à criança, objetivando inserir a causa na agenda e orçamento público; Comunicação – geração de informação e desenvolvimento de campanhas de mídia para alertar e conscientizar a sociedade sobre a causa e Mobilização – cursos à distância, oficinas presenciais e sistematização de conteúdos para potenciais multiplicadores, como profissionais de educação, saúde, trânsito e outros ligados à infância, promovendo a adoção de comportamentos seguro

11 motivos para inserir a manteiga clarificada no seu cardápio saudável


Nutricionista Renata Guirau, lista os principais motivos para o consumo do alimento e ensina receitas práticas para preparar em casa

Livre de toxinas, sal e lactose, o óleo garante benefícios nutricionais, efeito rejuvenescedor e garante propriedades terapêuticas

Ser saudável já é premissa para a maioria dos brasileiros, e isso, todo mundo sabe – segundo a Euromonitor Internacional, o mercado de alimentação ligado à saúde e ao bem-estar cresceu 98% no país de 2009 a 2014. Em paralelo a isso, o relatório The Top 10 Consumer Trends for 2017, apontou que 79% dos consumidores já substituem produtos convencionais pelos mais saudáveis.

Mas, sabia que alguns alimentos podem ser substituídos por suas versões mais saudáveis? A queridinha, que entrou de vez para as refeições de celebridades e pessoas com estilo de vida saudável é a manteiga clarifica, ou Ghee, como também é chamada.

Segundo a nutricionista Renata Guirau, motivos é que não faltam para torna-la item indispensável à mesa. “Ela vem como uma opção mais saudável, ideal para substituir a margarina/manteiga comum, e traz diversos benefícios nutricionais, além de propriedades terapêuticas” afirma a profissional. Seu diferencial está nos ácidos graxos (as moléculas químicas das gorduras), formados por componentes que favorecem a produção do colesterol bom e não do colesterol ruim, como ocorre com as margarinas, por exemplo.

A manteiga clarificada é um óleo puro, extraído da manteiga natural, sem toxinas, sal e lactose, o que faz com que ela não cause a indesejada retenção de líquidos, por exemplo, e ainda possa ser consumida por pessoas com Hipolactasia – restrição à lactose, como explica a nutricionista.
Para quem quer apostar na pedida como uma aliada à saúde, Renata Guirau listou bons motivos para incluir ela no cardápio hoje mesmo:

1.     PODER ANTIOXIDANTE: sua vitamina A, torna um alimento rejuvenescedor, que fortalece as defesas naturais do organismo, a saúde da pele, olhos e cabelo, e ainda previne o envelhecimento precoce. Além de proteger as células dos radicais livres e garantir efeito anti-inflamatório.

2.     AUXILIA NA DIGESTÃO: a manteiga clarificada estimula a produção adequada de sucos gástricos e tem mais fácil digestão do que a maioria das gorduras, por ser composta de moléculas de gorduras de composição química menor que a manteiga e margarina comuns.

3.     MEMÓRIA POTENTE: fonte de gorduras boas, ela favorece a saúde das células presentes no cérebro, o que potencializa a capacidade de memorização.

4.     CARDIO 100%: as gorduras de sua composição favorecem o equilíbrio dos níveis de colesterol e reduzem o risco de hipertensão ou doenças cardiovasculares.

5.     SABOR DIFERENCIADO: o sabor da manteiga clarificada é mais suave do que a manteiga comum, no entanto, bem parecido e com leve toque amendoado, o que a deixa ainda mais saborosa.

6.     VERSATILIDADE: Por ser de fonte natural, as manteigas clarificadas têm várias aplicações culinárias, e podem ser usada em diferentes preparos, como receitas grelhadas, assados (inclusive bolos e tortas) e até para fritar alimentos, uma vez que sua estrutura química suporta o calor necessário para frituras. Também pode ser usada em torradas e pães e para temperar saladas cruas e substituir principalmente, a margarina comum.

7.     PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS: graças às suas ações antioxidantes, rejuvenescedoras, digestivas e fortalecedoras, a manteiga também é muito utilizada em massagens, terapias e preparações medicinais.

8.     CONSUMO DIÁRIO: em excesso, todo alimento pode se tornar prejudicial, no entanto, a manteiga clarificada pode perfeitamente compor as refeições naturais e saudáveis, e se encaixa perfeitamente no termo do momento “comida limpa”, que significa livre de componentes industrializados.

9.     CONSISTÊNCIA IDEAL: sua consistência é o outro diferencial, quando falamos em propriedades sensoriais. De textura mais leve, ela combina também com preparações doces, como bolos, por exemplo.

10.  FÁCIL PREPARO: a Ghee é produzida a partir da manteiga comum e leva apenas alguns minutos de preparo no fogo (você confere a receita logo abaixo).

11.  FÁCIL CONSERVAÇÃO: sua conservação é simples, como os demais produtos da categoria. O ideal após abrir as embalagens, que geralmente são fechadas hermeticamente, é a conservação em geladeira, para garantia de que o produto não ficará rançoso, principalmente em dias quentes. Em potes bem fechados, de vidro, pode-se manter a manteiga fora da geladeira, em ambiente fresco. A média de validade fica em 1 mês fora da geladeira e até 3 meses armazenada sob refrigeração.

Aprenda receitas especiais:

Como preparar manteiga clarificada em casa

INGREDIENTE
1 tablete de manteiga sem sal

MODO DE PREPARO
Leve a manteiga ao fogo médio em uma panela. A manteiga aquecida formará uma espuma na superfície, que logo abaixará. Quando formar a segunda espuma, aguarde 2 a 5 minutos e retire do fogo. Deixe esfriar e coe a manteiga, armazenando em um pote de vidro. Feche bem o recipiente e reserve em local fresco ou na geladeira.

DICA: você pode acrescentar ervas e pimentas logo ao final do preparo de manteiga clarificada caseira, formando um produto aromatizado que deixará seus pratos ainda mais saborosos!

Filé de frango com manteiga clarificada
INGREDIENTES
01 kg de filé de frango cortado finamente e levemente batido.
50 ml de manteiga clarificada.
Sal e pimenta do reino a gosto.
Suco de 1 limão.
2 colheres de sopa de água.

MODO DE PREPARO
Tempere os filés de frango com o suco de limão, água, sal e pimenta do reino moída na hora. Deixe descansado por 2 horas na geladeira.
Derreta a manteiga em uma frigideira e acrescente os filés. Doure bem os dois lados até que fiquem cozidos, porém não muito secos. Sirva em seguida.
Nhoque grelhado na manteiga

INGREDIENTES
300g de batata doce
300g de mandioquinha
1 xícara de fécula de batata (ou mais, até dar o ponto de enrolar)
4 colheres de sopa de manteiga clarificada
Orégano a gosto
Sal a gosto

MODO DE PREPARODescasque e cozinhe as batatas doces e as mandioquinhas, e faça um purê com os dois. Vá adicionando a fécula de batata até ficar em ponto de enrolar. Faça bolinhas em formato de nhoque. Em seguida, cozinhe em água fervendo até que os nhoques fiquem na superfície da água.

Em uma panela, aqueça a manteiga e aqueça os nhoques, mexendo delicadamente para que dourem a absorvam o sabor da manteiga.

A busca pelo corpo ideal no verão já começa no inverno


O tempo frio impulsiona a aceleração do metabolismo e torna mais fácil o processo de emagrecimento

Ainda é possível sentir o frio latente do inverno, mas há quatro meses para a chegada da estação mais quente do ano, ou seja, o verão, é necessário se pensar em formas de se delinear o corpo, aliando saúde e bem-estar. Mesmo que pareça difícil e cedo para se dedicar ao emagrecimento agora, com o intuito de estar em forma para o verão, é preciso colocar em prática mudanças de hábitos o quanto antes.

O cirurgião bariátrico, Leonardo Salles, aponta que a mudança de estilo de vida baseada na reeducação alimentar, o estabelecimento da prática de exercícios físicos e o acompanhamento psicoterápico são decisivos para a perda de peso.

Estudos científicos publicado pela revista americana Trends in Endocrinology Metabolism, ao contrário do que a maioria da população acredita, informa que o inverno se mostra como um período bastante favorável para a perda de peso saudável e sem sacrifícios.

Naturalmente, tanto no inverno quanto no verão, o corpo humano mantém uma temperatura constante, que gira em torno de 37°C. No entanto, especialistas da área indicam que as baixas temperaturas do inverno são altamente favoráveis para se adquirir um corpo esbelto. Conforme os especialistas, o corpo para se manter aquecido, aumenta o gasto calórico em até 10% e esta condição, junto a uma dieta equilibrada e exercícios físicos, tornam o processo de emagrecimento menos complexo e mais célere.

No tempo frio, o organismo humano trabalha de forma mais intensa na produção de calor e o metabolismo acelera para conservar a temperatura interna do corpo. Por este motivo, os habitantes de países com invernos mais severos têm maior dificuldade de engordar.

Muitas pessoas acreditam que o inverno favorece o ganho de calorias, pois creem que durante essa estação, o nosso metabolismo fica mais lento e o corpo procura armazenar mais gordura para se aquecer. O que não condiz com a realidade e ainda revela outro forte implicante no ganho de peso ao longo do inverno, a questão psicológica.  Com isso, a queda na produção de serotonina e a intensificação de sentimentos ligados a tristeza, desânimo ou mesmo a depressão, acabam levando muitas pessoas a comerem descontroladamente e engordarem de forma inconsciente durante o período frio.

Leonardo Salles aponta que o ideal é que as pessoas adotem a reeducação alimentar e metabólica durante o inverno para se chegar ao verão com o corpo delineado. Ele afirma que a reeducação não se baseia em uma dieta para o simples emagrecimento, mas se traduz como um tratamento médico que requer cuidados profissionais e acompanhamento médico. Ao longo da reeducação, as pessoas aprendem a adaptar o seu organismo e percam gordura naturalmente, e após atingirem o peso ideal, não voltem a engordar.

O cirurgião também explica que, para casos mais extremos de excesso de peso é indicado a aplicação de métodos mais incisivos como o Balão Intragástrico (técnica endoscópica que não modifica o organismo). “Uma coisa é tratar o peso, outra completamente diferente é tratar a sua causa, para isso não basta emagrecer, precisamos tratar o que motivo da ganha de peso. 

Independentemente de qual tratamento for realizado para a perda de peso, o fundamental é tratar a base do problema com o acompanhamento de profissionais como psicólogos, psiquiatras, nutricionistas e endocrinologistas”, completa Leonardo Salles.

Rede de entidades da sociedade civil, MP e Defensoria apresentam fiscalização inédita da proposta da Prefeitura de SP para internar usuários de crack



Relatório técnico "Estamos de Olho: Avaliação Conjunta dos Hospitais Psiquiátricos do Projeto Redenção" aponta falta de critérios claros para internação de pacientes e problemas estruturais nas unidades contratadas pela gestão municipal

 São Paulo, 29 de agosto de 2017 -  Na tarde de hoje, um conjunto de conselhos de classe, entidades da sociedade civil, Ministério Público e Defensoria Pública apresenta, em coletiva de imprensa e pela internet, o relatório inédito "Estamos de Olho: Avaliação Conjunta dos Hospitais Psiquiátricos do Projeto Redenção". 

A iniciativa ocorre poucos meses após a violenta operação policial realizada em 21 de maio deste ano nos quarteirões identificados como 'Cracolândia', na região da Luz. Desde então, organizações da sociedade civil, conselhos de classe, Ministério Público e Núcleos da Defensoria Pública se uniram em uma rede permanente de monitoramento das ações estatais que compõem as políticas sobre drogas para a cidade. Por conta das medidas adotadas pela prefeitura para internar usuários de crack em hospitais psiquiátricos, essa rede estabeleceu um comitê de fiscalização social dos novos procedimentos destinados a essa população.

Em julho e agosto, esse comitê de fiscalização realizou uma série de visitas técnicas para avaliar as condições de operação e padrões de tratamento dos Hospitais Psiquiátricos Cantareira, Nossa Senhora do Caminho, São João de Deus, São Miguel Arcanjo e Casa de Saúde Nossa Senhora de Fátima, que integram a rede de atendimento do Projeto Redenção. Os resultados das fiscalizações estão reunidos no documento lançado hoje, composto por relatórios elaborados pelas organizações participantes. O objetivo das inspeções foi identificar a nova dinâmica estabelecida pela prefeitura para lidar com esses sujeitos e eventuais violações de direitos humanos no contexto das internações promovidas em instituições conveniadas ao Projeto Redenção. Além da estrutura física e das condições de higiene dos locais, foram averiguadas a voluntariedade das internações e a forma de cuidado dos usuários. 

A rede de entidades mobilizadas no monitoramento social do Redenção inclui: CREMESP - Conselho Regional de Medicina de São Paulo, COREN - Conselho Regional de Enfermagem, CRP - Conselho Regional de Psicologia, COMUDA - Conselho Municipal de Política de Álcool e Drogas, CONDEP - Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana de São Paulo, CRESS - Conselho Regional do Serviço Social de São Paulo, CRN-3 - Conselho Regional de Nutricionistas, Vara da Saúde do Ministério Público e núcleos especializados da Defensoria Pública (Infância & Adolescência, Direito da Mulher, Idoso e Pessoa com Deficiência, Cidadania e Direitos Humanos).  

Entre as principais considerações da avaliação conjunta constam:

1- Algumas instituições apresentam boas condições de higiene e operação, mas as unidades diferem em termos de composição de equipe e recursos técnicos e médicos adequados; há locais que dispõem de apenas um médico por turno; no geral, falta estrutura adequada.

2- Falta integração entre as unidades hospitalares psiquiátricas e o restante da rede de atendimento psicossocial da prefeitura, dificultando o encaminhamento de pacientes para outras estruturas de tratamento e acolhimento;
3- Todas as instituições fiscalizadas operam na lógica da abstinência e da desintoxicação, sem estrutura clara de acompanhamento familiar, encaminhamento pós-alta, reinserção social e tratamento continuado dos casos; 
4- Muitos usuários internados relataram ter chegado aos serviços hospitalares em busca de abrigo e alimento;
5- Vários usuários relataram desconhecer o motivo e para onde foram levados; tampouco estavam informados sobre os procedimentos pós-alta e desconheciam os medicamentos que utilizavam;
6- Em geral, foi notada ausência de atendimento personalizado aos usuários e aplicação de projeto terapêutico singular nas instituições; essa ferramenta é considerada essencial para a promoção do cuidado qualificado e digno;
7 - Foi observada reincidência, com repetidos relatos de usuários que já haviam passado períodos anteriores de internação em unidades psiquiátricas.

8 - Questões de gênero, com atendimento especializado voltado a pessoas trans e mulheres, são ausentes das práticas de internação; o sexo é proibido e não há trabalho preventivo como a distribuição de preservativos. 

9. Em todos os hospitais, foi notada falta de critérios claros para justificar as internações; são levados em conta apenas critérios de exclusão baseados em comorbidades que superam a estrutura técnica/ médica dos locais fiscalizados.  

Para Mauro Aranha, do Conselho Regional de Medicina, que participou da comissão que visitou os hospitais, "internar para desintoxicação, sem articular com a rede um projeto terapêutico individualizado de referenciamento e reinserção social é o mesmo que devolvê-lo, após a alta, ao abandono e à miséria das ruas". 

Sobre as considerações da pesquisa, Ed Otsuka, do Conselho Regional de Psicologia, que também acompanhou as missões técnicas, pondera: "Pelo cuidado em liberdade, pelos direitos humanos, pelas políticas públicas de qualidade, pelo acolhimento do sofrimento. A higienização, a segregação, a internação e o silenciamento interessam a que e a quem?". 

Ciente de que a internação em hospital psiquiátrico pode ser um dispositivo médico para casos extremos, Nathalia Oliveira, especialista do Conselho Municipal de Política de Drogas, lembra: "Experiências bem sucedidas no Brasil e no mundo mostram que o caminho da redução de danos, que inclui cuidado, tratamento, oferta de moradia, emprego e renda para usuários de drogas em situação de rua sem exigir abstinência, é a melhor alternativa do ponto de vista da garantia de direitos humanos e da saúde pública. O Redenção vai na contramão dessa visão".

Limpeza com produtos ecológicos protege saúde dos pets


Pensar em limpeza de casa e estofados é sinônimo de lembrar sobre alergia de produtos químicos. Essa realidade não se inclui apenas para nós, mas também aos animais de estimação. Com ajuda de uma especialista em limpeza ecológica, desenvolveu a linha, onde a higienização e impermeabilização dos estofados são realizadas com o animal dentro de casa.

A empresa colabora para a durabilidade dos estofados que são utilizados pela família constantemente e estão sempre sujeitos à uma mancha de café que cai ou até mesmo às necessidades físicas dos pets. “ Muitas vezes o xixi dos pets escapa no sofá ou muitos fazem deles um vaso sanitário. Além disso, os bichinhos também usam os estofados como guardanapo, limpando a boca após tomar água ou comer ração, isso deixa gordura no móvel. Por isso que a limpeza e impermeabilização colabora tanto para a casa como para o cuidado dos animais”, explica a sócia proprietária do Ana Paula Barcena.

Além disso, para conviver com animais de estimação é preciso ter cuidado redobrado, basta um farelo de comida, um odor mais atrativo ou uma textura que chame a atenção que eles já estão lambendo, cheirando e rolando em cima. O perigo se encontra quando usamos produtos químicos para a limpeza, que muitas vezes geram alergias, irritações ou até riscos mais sérios para os nossos pets. “Quando utilizamos produtos ecológicos estamos contribuindo não apenas para a natureza, mas para o bem-estar do cliente. Isso envolve além da nossa saúde a dos pets também, que podem correr pela casa sem preocupação de contrair irritações na pele ou algo pior”, comenta a equipe do Natureza & Limpeza.

Por isso toda a linha utilizada é ecológica, colaborando na saúde dos moradores, inclusive animais de estimação. Os clientes ganham recibos personalizados com o nome do pet proprietário e um banho para o seu animal de estimação na contratação de uma lavagem de sofá.

Idec realiza tuitaço contra decreto que acaba com a rotulagem de transgênicos


 
 
A ação tem como objetivo pedir que presidente Michel Temer não assine
o documento 
 
 
O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) realiza amanhã (29), das 16h às 17h, um tuitaço com a hashtag #DeOlhoNoT. O objetivo da ação é pedir que o presidente Michel Temer não assine um decreto que pode retirar a obrigatoriedade da rotulagem de transgênicos no Brasil. 
 
Em parceria com o Greenpeace, a ACT Promoção da Saúde e o CFN (Conselho Federal de Nutricionistas) e com o apoio de outros membros da Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável e da Plataforma Chega de Agrotóxicos, o tuitaço acontece após a notícia divulgada pelo jornal O Globo, no último dia 25. 
 
Segundo o texto, o presidente pode assinar, a qualquer momento, uma minuta preparada pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para retirar a obrigação de uso do símbolo T no rótulo dos alimentos e rações animais.
 
É preciso agir
 
Também no dia 25, o Idec enviou uma carta ao presidente repudiando o decreto. Em seu site, o Instituto também realiza uma campanha para que as pessoas possam enviar um e-mail a Michel Temer e a outras autoridades que têm poder de decisão sobre o assunto.
 
Para o Instituto, essa medida representa um grave retrocesso e uma afronta aos direitos dos consumidores, pois impede a informação clara e precisa sobre o uso de ingredientes transgênicos nos produtos.
 
A luta contra o fim da rotulagem de transgênicos começou em 2008 no Idec, quando um Projeto de lei foi proposto no Congresso. Até hoje, já foram coletadas mais de 94  mil assinaturas para pedir que o rótulo seja mantido. 
 

Hospital Samaritano cria Centro de Atenção ao Tabagismo


Com equipe multidisciplinar, serviço oferece suporte a pacientes que desejam parar de fumar

São Paulo, SP (agosto de 2017) – Para auxiliar pessoas que desejam parar de fumar, o Hospital Samaritano Higienópolis (São Paulo) acaba de criar um Centro de Atenção ao Tabagismo. Atualmente, 25 milhões de brasileiros são fumantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e o consumo de tabaco é a principal causa de mortes evitáveis no mundo, responsável por 63% dos óbitos relacionados a doenças crônicas não transmissíveis. Apenas em São Paulo, de acordo com o Ministério da Saúde, 14,1% da população é fumante.

Formado por uma equipe multidisciplinar e com atuação baseada em terapia cognitivo-comportamental, o centro oferece um programa que inclui quatro sessões de debate em grupos de até três pessoas, seguidas de consulta individual com pneumologista, mais duas sessões individuais com psicóloga e nutricionista.

“Os encontros têm intervalo de uma semana e cada um deles tem foco em uma das fases do processo de cessação do tabagismo, que podem ser muito estressantes, mesmo para aquele paciente que está decidido a parar de fumar. O acompanhamento de psicólogo e nutricionista tem o objetivo de dar suporte a essas pessoas em todo o ciclo que envolve essa escolha, prevenindo a troca do vício por uma compulsão alimentar, por exemplo”, destaca Igor Bastos Polonio, coordenador do Centro de Atenção ao Tabagismo do Samaritano Higienópolis.

Durante o tratamento, são abordados temas como a relação da pessoa com o tabagismo (quando iniciou, quantos cigarros fuma por dia etc.), o motivo que a fez buscar o tratamento e as principais dificuldades encontradas na interrupção do vício. Além disso, logo no início do programa – entre a primeira e a segunda sessões –, é solicitado ao paciente que estabeleça uma data para deixar de vez o cigarro.

Os participantes também aprendem técnicas de respiração para relaxamento e recebem orientação para evitar crises de abstinência e recaídas. Por fim, os pacientes têm acesso a informações sobre as alterações positivas que ocorrem no organismo uma vez que parem de fumar.

“Não há quantidade segura de nicotina que uma pessoa possa consumir por dia – a partir de um cigarro, a incidência de infarto, por exemplo, aumenta. Já os benefícios da cessação do tabagismo ocorrem em qualquer idade e sempre há redução de risco das doenças relacionadas ao tabaco, que são mais de 60, como alguns tipos de  câncer e enfisema pulmonar”, explica Polonio, que é doutor em Pneumologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e professor da disciplina na Faculdade da Santa Casa de São Paulo.

Antidumping e Poder de Mercado


*José Tavares de Araujo Jr.

Num oportuno estudo divulgado em julho deste ano, o Departamento de Estudos Econômicos (DEE) do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) analisou os impactos das medidas antidumping aplicadas pelo governo brasileiro no período 2003–2013. Utilizando um painel de dados com cerca de 346 mil observações e métodos econométricos recentes, mostra-se que os dois principais efeitos daquelas medidas são o fortalecimento do poder de mercado das firmas protegidas e a queda de produtividade do sistema industrial. Este trabalho pode servir como um ponto de partida para uma detida reflexão sobre o uso da proteção antidumping no Brasil, especialmente em contexto no qual o aumento da produtividade se mostra fundamental para a retomada do crescimento do país. 

A legislação antidumping foi introduzida no país em 1987, com o objetivo de criar mecanismos compensatórios ao processo de abertura comercial que iria começar com a reforma da tarifa aduaneira em 1988. Nos anos seguintes, até 2005, este instrumento foi usado com relativa moderação. Porém, a partir de 2006, é notório que o governo brasileiro tornou-se um dos principais usuários de antidumping entre os membros da Organização Mundial do Comércio (OMC). Para se ter uma ideia, de 2007 a 2013, o número de investigações abertas superou o total registrado nos 18 anos anteriores, e, segundo a OMC, entre 2011 e 2014, o Brasil se manteve na posição de grande líder mundial na abertura de investigações. 

Ora, embora legítimas e mutuamente acordadas no âmbito dos Acordos da OMC, as medidas de defesa comercial não devem ser utilizadas como fundamento para a proteção desmedida de indústrias com a competitividade reduzida, ou mesmo como instrumentos de caráter protecionista, cuja utilização é intensificada diante de situações de crise econômica. Lembrando que o próprio Governo Brasileiro historicamente defende na OMC o incremento do rigor técnico e da redução da margem de discricionariedade dos Estados-membro na imposição de medidas de defesa comercial. 

A situação acima descrita torna-se ainda mais emblemática quando se considera que aproximadamente 80% das medidas antidumping em vigor no Brasil (e diversas das investigações em curso) referem-se a matérias primas e bens intermediários, como é o caso do aço e demais produtos siderúrgicos, produtos químicos, borrachas, entre outros. Por óbvio, tais insumos afetam vastas cadeias produtivas, impactando a manufatura de automóveis, máquinas, eletrodomésticos, equipamentos de construção, tintas, solventes, pneus, solados, artigos esportivos, artigos, artigos cirúrgicos, mangueiras, e etc. O impacto da sobretaxa aplicada a insumos básicos ao longo das cadeias produtivas é, assim, exponenciado, reduzindo competitividade e produtividade, gerando inflação e aumentando preços ao consumidor final.   

Para piorar o cenário, recentemente foi emitido parecer pela Advocacia Geral da União (AGU) considerando que o Conselho de Ministros da Camex estaria vinculado às recomendações do órgão instrutório (DECOM) sobre dumping, dano e nexo causal. Portanto, o Conselho estaria compelido a acatá-las, salvo nos casos em que for aplicável a cláusula de interesse público prevista no art. 3o do Decreto no 8058/13. Inverte-se a lógica do sistema, subordinando-se a decisão de um Conselho de Ministros às opiniões de um órgão de instrução. Algo que, além de afrontar princípios constitucionais e normas do Acordo de Antidumping da OMC, confere poderes extraordinários ao DECOM e quebra toda racionalidade e saudável sistemática de controle de decisões tão importantes ao funcionamento da economia quanto as medidas antidumping. 

A situação é preocupante e, diante dos impactos à ordem econômica identificados pelo estudo do DEE, compete ao Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência (SBDC), composto pelo Cade e a Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda (SEAE), aplicar seus instrumentos de advocacia da concorrência. Caberia ao Cade, por exemplo, solicitar à AGU a revisão do seu parecer, sobretudo para impedir que as distorções apontadas pelo DEE venham a se perenizar. Caberia, por outro lado, à SEAE propor ao DECOM a mudança de suas rotinas de investigação, ajustando-as à postura aconselhada pela OMC. Na verdade, bastaria lembrar que investigações antidumping devem cumprir – na forma e na substância – as ações descritas nos parágrafos 3.4 e 6.12 do Acordo da OMC, que tornam obrigatório, durante a investigação, o exame de todos os impactos 


econômicos e sociais que poderão resultar de uma eventual medida antidumping.
*José Tavares de Araujo Jr. é doutor em economia pela Universidade de Londres, professor titular aposentado da Universidade Federal do Rio de Janeiro, diretor do Centro de Estudos de Integração e Desenvolvimento - Cindes (www.cindesbrasil.org), e ex-Secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda (2003-04).

Cármen Lúcia divulga salários de ministros e servidores do STF



A medida atende à decisão da presidente do STF e do CNJ, de dar maior transparência aos dados sobre os salários e benefícios de todos os servidores do STF.

Camila Vaz, Advogado
Publicado por Camila Vaz
ontem
Braslia - A presidente do STF Crmen Lcia chega para sesso plenria para definir a fixao da tese de repercusso geral nas aes que tratam da desaposentao
Cármen Lúcia: portal do STF começou a detalhar os pagamentos dos salários dos servidores (José Cruz/Agência Brasil)
O portal do Supremo Tribunal Federal (STF) passou a detalhar os pagamentos de seus ministros e servidores. A medida atende à decisão da ministra Cármen Lúcia, presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), de dar maior transparência aos dados sobre os salários e benefícios de todos os servidores do Supremo.
A determinação da ministra foi tomada no dia 18 de agosto e serve para “dar mais eficácia” à decisão administrativa tomada pelo Plenário do STF na sessão de 22 de maio de 2012 e à Resolução 528, de 3 de junho de 2014.
Cármen considerou a necessidade de aperfeiçoar o cumprimento da Lei de Acesso a Informacao, de 2011, para permitir a ciência sobre os gastos com pessoal e contratos firmados pelo Supremo. Ela determinou o aprimoramento na exposição dos dados sobre pagamentos de servidores, especificando o subsídio e as demais parcelas, fixas ou variáveis, ainda que realizadas uma única vez.
O portal do STF começou a detalhar os pagamentos dos salários dos servidores. As licenças-prêmio pagas em dinheiro já passaram a estar disponíveis no portal.
De acordo com o diretor-geral do STF, Eduardo Toledo, o detalhamento seguirá com itens como vantagens pessoais, licença-prêmio, indenização de férias, serviços extraordinários, entre outros que terão as suas origens registradas. Qualquer parcela paga ao servidor terá a sua fundamentação explícita.
No portal do Supremo, quem acessar o menu “Transparência” poderá ver os gastos com remuneração, passagens, diárias entre outros itens. As informações relativas aos salários dos servidores estavam disponíveis no site do STF, mas de forma consolidada e não com a sua destinação esmiuçada, como começou a ser feito agora.
Apesar de o STF não se subordinar ao CNJ, a decisão da ministra se alinha à Portaria nº 63, de 17 de agosto de 2017, que determinou que os tribunais brasileiros enviem ao colegiado os dados relativos aos pagamentos feitos aos magistrados de todas as instâncias do Judiciário, especificando os valores relativos a subsídios e eventuais verbas especiais de qualquer natureza.
Veja o salário pago aos ministros do Supremo em agosto deste ano, segundo dados do portal Transparência do STF:
Nome Bruto (R$) Líquido (R$)
ALEXANDRE DE MORAES 33.763,00 22.654,94
CÁRMEN LÚCIA ANTUNES ROCHA 37.476,93 24.911,16
ENRIQUE RICARDO LEWANDOWSKI 37.476,93 24.012,19
GILMAR FERREIRA MENDES 37.476,93 21.574,17
JOSE CELSO DE MELLO FILHO 37.476,93 19.200,79
JOSÉ ANTONIO DIAS TOFFOLI 33.763,00 20.102,31
LUIZ EDSON FACHIN 33.763,00 21.782,20
LUIZ FUX 37.476,93 25.347,53
LUÍS ROBERTO BARROSO 33.763,00 21.735,82
MARCO AURELIO MENDES DE FARIAS MELLO 37.476,93 22.566,09
ROSA MARIA WEBER CANDIOTA DA ROSA 37.476,93 24.232,18
Fonte: Exame

Esclerose Múltipla: doença atinge mais de 2,5 milhões de pessoas no mundo


Só no Brasil, estimam-se mais de 40 mil casos, e a grande maioria da população desconhece a doença

CURITIBA, 29/08/2017 – Nesta quarta-feira, 30 de agosto, serão realizadas ações em todo o Brasil para marcar o Dia Nacional de Conscientização da Esclerose Múltipla. A doença, ainda pouco conhecida pela população, atinge mais de 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo mostram os dados da Federação Internacional de Esclerose Múltipla, sendo em sua maioria mulheres, na faixa dos 20 aos 50 anos. Só no Brasil são mais de 40 mil casos da doença, de acordo com a Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (ABEM).  

Para o neurologista, Dr. Eric Grossi, a grande dificuldade está justamente na falta de informações sobre a doença. “A grande maioria da população, inclusive os médicos não neurologistas, não sabe o que é a Esclerose Múltipla, seus sintomas e tratamento. Por esse motivo é tão importante alertamos sobre o assunto”, comenta o especialista. Os primeiros aspectos que devem ser esclarecidos são: a Esclerose Múltipla não é uma doença mental, não é contagiosa, existem sim, métodos de prevenção e apesar de não existir cura, com os avanços da medicina hoje, é possível tratar os sintomas e, mais importante, retardar o processo de evolução da doença.  

“A Esclerose Múltipla é uma doença neurológica, crônica e autoimune, onde as células de defesa do próprio organismo atacam o sistema nervoso central o que provocam lesões cerebrais e medulares. Com causas desconhecidas, a doença passou a ser foco de estudos no mundo todo, o que tem ajudado de forma significativa na melhoria de vida dos pacientes”, detalha Grossi. Segundo o médico, a grande maioria dos casos acontecem em mulheres jovens, e pode ter os mais variados sintomas como: cegueira súbita, visão dupla, fraqueza muscular, alteração do equilíbrio ou da coordenação motora, fadiga intensa, depressão, dores articulares, além de disfunções intestinais e na bexiga.

Existem algumas doenças que têm sintomas semelhantes aos do Esclerose Múltipla, e só um médico especialista será capaz de identificar corretamente. Em caso de suspeitas da doença, é importante que a pessoa procure um neurologista para que ele possa investigar, chegar ao diagnóstico correto e começar o tratamento. "Vale ressaltar que existem três formas de esclerose múltipla, sendo a mais comum no Brasil, aquela que evolui de forma paroxística, ou seja, em crises de sintomas agudos (denominados surtos) e períodos longos de calmaria (denominados de remissão, onde há melhora ou ausência de piora). Até pouco tempo, somente as crises eram tratadas, mas já há alguns anos, dispomos de medicamentos, inclusive distribuídos pelo sus, que ajudam a evitar essas crises, melhorando assim a evolução da doença”, explica.  

Os tratamentos hoje disponíveis, reduzem a atividade infamatória causadora das lesões no sistema nervoso central, contribuindo para uma redução da incapacidade e melhorando a qualidade de vida dessa pessoa. “Estamos avançando quanto ao conhecimento e os tratamentos da Esclerose Múltipla, mas é um longo caminho, por isso, um acompanhamento adequado faz toda a diferença na vida do paciente. Cada caso é um caso diferente, todos devem ser avaliados e tratados individualmente, chegando assim ao melhor tratamento possível para cada paciente”, completa o neurologista.

Hérnia de disco é uma das principais causas de dor nas costas

 
 
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 70 a 85% da população tem ou terá um episódio de dor nas costas no decorrer da vida.
 
São Paulo, 29 de agosto de 2017 –Uma das principais causas de quadros dolorosos relacionados à coluna é a hérnia de disco. Estima-se que a hérnia discal lombar afeta de 2 a 3% da população. A prevalência é de 4,8% em homens e 2,5% em mulheres.

Segundo Dr. Iuri Weinmann, Neurocirurgião e Especialista em Cirurgia da Coluna, as hérnias de disco lombar e cervical costumam aparecer entre os 40 e 50 anos, havendo outros picos de incidência entre 25 e 35 anos e, menos frequentemente, entre 50 e 60 anos. Em 76% dos casos, a pessoa tem um antecedente de dor lombar até uma década antes.

Fatores de Risco
“Hoje, há fortes indícios de que a genética tem mais influência no desenvolvimento da hérnia de disco do que os fatores ambientais. Porém, hábitos como carregar muito peso (principalmente exercendo esforço intenso de forma súbita), sedentarismo, excesso de atividades que demandem muito da coluna, má postura, tabagismo e processo natural de envelhecimento são importantes fatores de risco”, explica Dr. Iuri.

Onde tudo começa
“Na coluna se encontram os discos intervertebrais, estruturas que ficam entre as vértebras cuja principal função é amortecer o impacto de um osso no outro. Quando há desgaste desses discos eles podem romper-se e pressionar os nervos mais próximos, levando à dor. A hérnia de disco pode atingir a região cervical ou a região lombar, sendo esta última a mais comum”, explica o especialista.

“Tipicamente, a hérnia de disco lombar começa como uma lombalgia, uma simples dor nas costas. Mas, em geral, essa dor evolui para uma lombociatalgia, que ocorre quando a dor lombar está associada à irradiação para os membros inferiores (pernas e pés) devido à compressão da raiz do nervo, como a do ciático”, afirma Dr. Iuri.

A hérnia de disco cervical começa com uma dor no pescoço que irradia para os ombros ou braços, causando fraqueza muscular e formigamento quando há compressão da raiz nervosa. “É importante entender que nem toda hérnia de disco vai causar dor. A herniação, degeneração do disco e a estenose (compressão) do canal espinal não são responsáveis individualmente pela dor. É preciso levar em conta a compressão mecânica e as mudanças inflamatórias que ocorrem no disco e na raiz nervosa”, explica o neurocirurgião.

Cirurgia minimamente invasiva
Após o diagnóstico da hérnia de disco, o médico irá realizar o tratamento conservador, que pode incluir repouso, medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos, acupuntura, fisioterapia e fortalecimento muscular. Na maioria dos casos, a evolução é boa. Porém, cerca de 5 a 10% dos pacientes vão precisar de cirurgia para tratar a hérnia de disco, especialmente se for grande e estiver comprimindo os nervos.

“Há vários tipos de cirurgias que podem ser feitas. Entre elas a microcirurgia e discectomia tradicional, empregando a microtécnica microcirúrgica; a microsdiscectomia tubular, com ou sem auxílio endoscópico, e a microdiscectomia totalmente endoscópica. Contudo, buscamos cada vez mais realizar procedimentos minimamente invasivos devido aos seus comprovados benefícios, como recuperação mais rápida, menor risco de infecções e menor tempo de internação hospitalar,”, diz Dr. Iuri.

Segundo o neurocirurgião, as técnicas cirúrgicas que reúnem estas vantagens são as duas últimas (microsdiscectomia tubular com ou sem auxílio endoscópico e a microdiscectomia totalmente endoscópica). “Cada técnica conta com sua melhor aplicabilidade em diferentes situações. Estes procedimentos permitem ao cirurgião visualizar o local exato da lesão com grande aumento graças aos monitores de alta definição e exatidão”.

As vantagens desse procedimento quando comparadas aos da cirurgia clássica de hérnia de disco são inúmeras. “É usada anestesia local com sedação em vez de anestesia geral. Isso permite, por exemplo, operar pacientes que não poderiam se submeter a uma sedação geral. O corte na pele é menor, o sangramento é mínimo, há menos dor no pós-operatório e a recuperação é mais rápida. Todos os benefícios desse tipo de cirurgia são importantes para que o paciente retorne às atividades cotidianas, especialmente ao trabalho”, finaliza o médico.

São Paulo atualiza quadro de saúde de Pratto e atacante pode receber alta nesta segunda


Saúde atualizada
Atualização diária 29 de agosto de 2017


NOTÍCIAS

São Paulo atualiza quadro de saúde de Pratto e atacante pode receber alta nesta segunda
Após ser internado pela pancada que sofreu na cabeça no clássico do São Paulo contra o Palmeiras, Pratto teve seu quadro de saúde atualizado ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Líquido durante a refeição faz mal à Saúde
O prazer de ajudá-los a atingirem seus objetivos seja na saúde e qualidade de vida, seja na estética ou na melhoria de performance esportiva é ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Atlético vira no fim com golaço de Otero e volta a encostar no G-6 do Brasileirão


Esportes
Atualização diária 29 de agosto de 2017


NOTÍCIAS


Flamengo bate Atlético-PR no Rio e se consolida no G6 do Brasileiro
Animado por ir à decisão da Copa do Brasil contra o Cruzeiro após eliminar o Botafogo, o Flamengo jogou bem, se movimentou bastante e venceu o Atlético-PR por 2 a 0, nesta tarde de domingo, no estádio Luso Brasileiro, na Ilha do Governador, no Rio.
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



O maior campeão de Minas volta a decidir a Copa do Brasil
O Cruzeiro vai decidir a Copa do Brasil em sua casa, o Mineirão, a “Toca 3” segundo seus torcedores, contra o Flamengo, em 27 de setembro. O primeiro jogo será dia 7, Dia da Independência, no Maracanã, às 21h45. Sinceramente, não entendi o horário.
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante


Ainda sem Neymar, seleção começa a se apresentar no Sul para encarar o Equador
Campinas, SP, 27 - A seleção brasileira começou a se apresentar, ainda que timidamente, na noite deste domingo em Porto Alegre visando a próxima rodada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018. Ao todo, quatro jogadores e a ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Dembélé é uma ótima e necessária contratação, mas o Barcelona precisa de mais e o mercado está louco
Nesta sexta-feira (25), o Barcelona anunciou a contratação de Ousmane Dembélé, jovem atacante francês, de apenas 20 anos, junto ao Borussia Dortmund. O clube espanhol pagou a bagatela de 105 milhões de euros (cerca de R$ 395,88 mi) mais bônus ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



De volta a um Grand Slam após um ano e meio, Sharapova elimina número 2 do mundo na estreia pelo US Open
Maria Sharapova voltou em grande estilo a um Grand Slam. A russa encarou Simona Halep, cabeça de chave número 2, pela primeira rodada do US Open e venceu por 2 sets a 1, parciais de 6-4, 4-6 e 6-3, nesta segunda-feira. Após vencer a partida de ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Carlos e Valdívia serão desfalques para Inter e Galo na Primeira Liga
Apesar de não terem qualquer problema relacionado a questões físicas, de suspensão por cartão ou mesmo relacionado a inscrição, o atacante Carlos (pelo lado do Inter) e o meia-atacante Valdívia no Atlético-MG não participarão do jogo do meio de ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Brasileiro Série A
O Flamengo não encontrou a menor dificuldade para derrotar o Atlético-PR por 2 a 0, em partida disputada na tarde deste domingo, na Ilha do Urubu, pelo Campeonato Brasileiro. O resultado fez o time carioca chegar aos 35 pontos ganhos, na quinta ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Ainda sem Neymar, seleção começa a se apresentar para jogo com Equador
A seleção brasileira começou a se apresentar, ainda que timidamente, na noite deste domingo em Porto Alegre visando a próxima rodada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018. Ao todo, quatro jogadores e a comissão técnica já ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Após vitória, Luan exalta amizade e triunfo de vestiário
O Atlético-MG venceu a Ponte Preta, por 2 a 1, de virada, no fim do jogo, no Moisés Lucarelli, em duelo válido pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após o triunfo, o meia Luan destacou a força do time para reverter o jogo. “A gente vem jogando bem ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante



Atlético vira no fim com golaço de Otero e volta a encostar no G-6 do Brasileirão
Com um golaço de Otero nos minutos finais, o Atlético conseguiu a virada sobre a Ponte Preta no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. A vitória por 2 a 1 deixa o Alvinegro mais perto do G-6 do Campeonato Brasileiro. O gol do venezuelano premiou a ...
Google Plus Facebook Twitter Sinalizar como irrelevante

Jornal de Saúde informa

Atividade física: como se preparar para os exercícios nas estações mais frias

No inverno, é comum que esportistas fiquem menos dispostos à prática de exercícios; ideal é se preparar e manter a motivação mesmo longe...

Jornal de Saúde